quarta-feira, 17 de abril de 2013

MANAUS E O LUGAR DA BARRA


A cidade de Manaus nasceu nas proximidades do Forte de São José do Rio Negro e no entorno desse forte foi ainda edificada a 1º Capela da Ordem Carmelita. Segundo Agnello Bittencourt (1999:7), em seguida, vieram fixar-se numerosos indígenas, das tribos Manáos, Bares, Banibas e Passés, muitos dos quais haviam colaborado na obra de construção, por influência dos catequistas portugueses. A área com aquela população, moradora de palhoças humildes, passou a ser conhecida pelo designativo de Logar da Barra. Até o final do Século XVIII, o Logar da Barra não passava de um obscuro povoado da Capitania de São José do Rio Negro, cuja capital funcionava, desde 1758, na vila de Barcelos (MESQUITA, 2006:25), a época denominada Mariuá.
Segundo Otoni Mesquita (2006:29)  em 1848, a vila de Manaus foi promovida à cidade, passando a denominar-se cidade da Barra do Rio Negro, e, em 5 de setembro de 1850, a comarca do Alto Amazonas foi elevada à Categoria de Província. [...] Mas a instalação só ocorreu em 1º de janeiro de 1852 quando desembarcou na Barra o seu primeiro presidente, João Baptista de Figueiredo Tenreiro Aranha. [...] Em 04 de setembro de 1856, a Lei n. 68 mudou o nome da cidade da Barra do Rio Negro para Cidade de Manáos. O povoamento e o tipo de habitação que foram construídos neste local aos poucos foram sendo substituídos por fabulosas edificações que atendessem aos nobres e seus familiares que estavam aportando do Continente Europeu, além de grandes empreendedores que começavam a implantar os seus negócios. Dentre eles, destacou-se o Barão de Mauá com a sua Companhia de Navios à Vapor, que atendia o seus clientes que necessitavam deste meio de transporte para manter o comércio local com o exterior.











Nenhum comentário:

Postar um comentário