quinta-feira, 6 de abril de 2017

SHOW DA XUXA EM MANAUS 1987

17 de outubro de 1987 . Apresentação para 15 mil pessoas no Estadio Vivaldo Lima.
Xuxa chegou de helicóptero. Xuxa demorou a entrar no palco por problemas técnicos no som e disse que antes de aceitar o convite, varias pessoas disseram que Manaus era quente. Ela respondeu ao publico que não tinha problema com isso.



sábado, 18 de março de 2017

USINA DA CACHOEIRA GRANDE NO BAIRRO SÃO JORGE

Hoje foi um dia memorável para nós. Por longos anos, alimentamos a avidez de visitar as ruinas da antiga Usina da Cachoeira Grande localizada no bairro de São Jorge. O local caracteriza-se como patrimônio histórico arquitetônico, pois representa parte da história do local.  Também representa o início do desenvolvimento de nossa cidade.
Quem esteve no local pode observar o que sobrou de um passado glorioso e idealizado.
Agradeço o querido professor Frederico pela excelente aula pública, pela iniciativa e carinho.
Agradeço o gentil Francisco Lima que registrou os melhores momentos da expedição e nos presenteou com fotos maravilhosas.
Agradeço ao Instituto Durango Duarte pela doação de livros que foram sorteados.
Por fim agradeço especialmente todos os seguidores da Manaus de Antigamente, que estiveram conosco nessa inesquecível aventura. Sem vocês nada disso aconteceria e seria um passeio chato e sem graça, vocês que dão sentido e vida a esse trabalho.
Muito obrigada!














REPRESA DA CACHOEIRA GRANDE 
Represa projetada por Lauro Batista Bittencourt, engenheiro ajudante da extinta Diretoria das Obras Públicas, na administração do então presidente da Província do Amazonas, José Lustosa da Cunha Paranaguá.
 O igarapé da Cachoeira Grande apresentava um volume considerável, com uma vazão média de 80 milhões de litros diários, um potencial surpreendente para abastecer toda Manaus e era também a melhor agua da região, dado ao estado de pureza de suas águas frente aos demais igarapés da cidade.  
A represa foi concluída em 1896 contendo duas turbinas Fourneyron que transmitia o movimento a duas bombas de duplo efeito, elevando a água para um reservatório de 40 metros acima do nível das bombas. A água era conduzida por um canal à caixa de captação e levada às bombas de um encanamento até um reservatório.
 A represa media 104,30 metros de comprimento por 3,50 metros de espessura e 3,80 de altura; o reservatório media 47m de comprimento, 32m de largura e 4m de altura, com capacidade para armazenar 4.592 m3 de água.
 Os materiais para a construção da represa da Cachoeira Grande foram encomendados pelo presidente da Província ao fabricante John Moreton & Cia e vieram diretamente dos Estados Unidos.




RUINAS DA ANTIGA USINA DA CACHOEIRA GRANDE
foto de Paulo Pereira 

PARTICIPANTES DO EVENTO




IBGE - INSTITUTO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA DO GOVERNO FEDERAL
contato telefônico da Biblioteca do IBGE  -33062000



MANAUS DE ANTIGAMENTE 








quarta-feira, 1 de março de 2017

MOCIDADE CLUBE DE MANAUS ANTIGA

Mocidade Clube – Um dos blocos mais antigos e boêmios de Manaus Antiga e que se apresentou durante 25 anos na avenida Eduardo Ribeiro.

O clube se apresentavam todas as terças-feiras de carnaval, sempre com temas e fantasias diferentes. Os temas eram escolhidos para lembrar fatos acontecidos na cidade, sempre com muita prosa e brincadeiras.
As reuniões do Clube Mocidade aconteciam na loja Vitrine, que era uma loja localizada na Eduardo Ribeiro e pertencia aos irmãos Tetenge.
O Mocidade Clube era formado por 15 amigos, entre eles podemos citar: Alfredo Tetenge, Theomario Pinto da Costa, Mario Lufino, Flaviano Limongi, Joaquim Loureiro, Andreas Limongi, Flavio Augusto, Angelo Amorim, Alfredo Turquinho, Desembargador Luiz Cabral, Mario Bitencourt, Nelson Ribeiro, Homero Cabal dos Anjos, Pedro Bichara Jose Maria Bichara e Jose Barros.
A primeira apresentação do Clube Mocidade aconteceu em 1953 e a última em 1978. A primeira e a última apresentação o tema foi o mesmo: A Branca de Neve e os Sete Anões.

fotos doadas
agradecimentos especiais a Inger Mara Loureiro












sábado, 18 de fevereiro de 2017

CARNAVAL DE MANAUS ANTIGA

Vamos iniciar as postagens sobre Carnaval da Manaus de Antigamente. A começar por essa linda imagem de um carro alegórico, da família Miranda Corrêa. Vejam ao fundo da imagem o Instituto benjamim Constant e o descampado onde hoje seria a praça do Congresso. Esse prédio ao lado do carro é o antigo palacete Miranda Corrêa, demolido criminosamente. Uma afronta para a nossa memória.


Ao final do século XIX e início do século XX, com a mudança do regime republicano, vivia-se uma fase de mudanças e transformações na cidade, sobretudo social e não apenas política. É nesse contexto que o carnaval amazonense acontece com muita força através de Saraus e bailes a fantasia, desfiles de carros alegóricos nas principais avenidas do Centro e batalhas de confetes. O jornal "O COMMERCIO" de 24 de fevereiro de 1890, publica uma nota com a seguinte manchete - Desde sábado a noite que já se notava pelas ruas e casas de divertimento grande massa popular que dava começo a folia carnavalesca- É nesse período que o Carnaval passa a ser um grande atrativo cultural e divertido para a população.

CARNAVAL DE MANAUS EM 1905
O carnaval de 1905 em Manaus, se não foi o mais animado de todos os tempos, certamente foi um dos mais retratados até a metade do século XX. Há uma série de cartões postais daquele ano - alguns inclusive colorizados à mão - que mostram os foliões portando ricas fantasias de pierrô, colombina, arlequim e outras; e os criativos carros alegóricos, patrocinados por empresas como a Fábrica Gelo Cristal, dos Miranda Corrêa, desfilando pela Avenida Eduardo Ribeiro. 
Beleza sem fim



CLUBE RIO NEGRO


                                          BANDA DA BICA


BAILE DE CARNAVAL NO RIO NEGRO - Eu recebi essa foto e fiquei contente pela descrição. A Paula Pinho enviou dizendo que era sua avó Itacyara Pinho à direita da imagem.

 Itacyara Pinho foi secretária de Educação e eu estudei na escola que recebeu seu por homenagem.



                                             CLUBE RIO NEGRO

DESFILE DE CARNAVAL NA AVENIDA EDUARDO RIBEIRO


BANDA DA BICA



BLOCO DAS APERTADAS
 Japiim na rua da Penetração.  Destaque para Sergio Rodela, Junior Louro, Marcio Quexinho e a rainha Luis Claudio. O bloco das apertadas no final da década 70 e começo dos anos 80, passeavam em uma caçamba, o que era surreal e muito divertido pra época. Posteriormente iria surgir um dos blocos mais divertidos e conhecidos de Manaus, o Bloco das Piranhas no conjunto Parque10 de Novembro. Eram só moradores que andavam vestidos de mulheres pelas ruas.



CARNAVAL NA AVENIDA EDUARDO RIBEIRO . No canto direito aparece o jornalista Ronaldo Tiradentes fazendo a cobertura do desfile.




 Mocidade Clube – Um dos blocos mais antigos e boêmios de Manaus Antiga e que se apresentou durante 25 anos na avenida Eduardo Ribeiro.

O clube se apresentavam todas as terças-feiras de carnaval, sempre com temas e fantasias diferentes. Os temas eram escolhidos para lembrar fatos acontecidos na cidade, sempre com muita prosa e brincadeiras.
As reuniões do Clube Mocidade aconteciam na loja Vitrine, que era uma loja localizada na Eduardo Ribeiro e pertencia aos irmãos Tetenge.
 O Mocidade Clube era formado por 15 amigos, entre eles podemos citar: Alfredo Tetenge, Theomario Pinto da Costa, Mario Lufino, Flaviano Limongi, Joaquim Loureiro, Andreas Limongi, Flavio Augusto, Angelo Amorim, Alfredo Turquinho, Desembargador Luiz Cabral, Mario Bitencourt, Nelson Ribeiro, Homero Cabal dos Anjos, Pedro Bichara Jose Maria Bichara e Jose Barros.
A primeira apresentação do Clube Mocidade aconteceu em 1953 e a última em 1978. A primeira e a última apresentação o tema foi o mesmo: A Branca de Neve e os Sete Anões.  






                                        BLOCOS DE CARNAVAL